O Casal Que Mora Ao Lado - Shari Lapena


É o aniversário de Graham, e sua esposa, Cynthia, convida os vizinhos, Anne e Marco Conti, para um jantar. Marco acha que isso será bom para a esposa, afinal, ela quase nunca sai de casa desde o nascimento de Cora e da depressão pós-parto. Porém, Cynthia pediu que não levassem a filha. Ela simplesmente não suporta crianças chorando.
Marco garante que a bebê vai ficar bem dormindo em seu berço. Afinal, eles moram na casa ao lado. Podem levar a babá eletrônica e se revezar para dar uma olhada na filha. Tudo vai dar certo. Porém, ao voltarem para a casa, a porta da frente está aberta e Cora desapareceu. Logo o rapto da filha faz Anne e Marco se envolverem em uma teia de mentiras, que traz à tona segredos aterradores.

Instigada pelos inúmeros comentários positivos quanto a esse livro, eu necessitava conferir  o que tem esse tal de casal que mora ao lado e assim descobri  o motivo de ter se tornado um best-seller e olha que ele é o livro de estreia da autora. Então vamos a mais esse thriller  publicado pela editora Record, que tem se destacado nos lançamentos deste gênero literário que eu amoooo.

Que história é essa, meu amigo leitor?!
Uma trama extremamente envolvente, desde a primeira página e não consegui largar enquanto não descobri o que realmente aconteceu com a bebê, Cora. O desaparecimento da menina é o foco dessa trama que é extremamente engenhosa que nos leva a desconfiar de tudo e todos.

Desde o nascimento da filha, sempre soube onde Cora estava em cada minuto de sua breve vida, mas agora não faz ideia de onde ela se encontra. Porque é péssima mãe. É uma mãe horrível e emocionalmente instável que não amou a filha o suficiente. Deixou-a sozinha em casa.

O casal protagonista Anne e Marco trazem uma química verídica, palpável, mesmo com todos os problemas da vida a dois que enfrentam e isso é um ponto muito forte da história. Temos uma mulher com todas aquelas inseguranças pós-parto, me identifiquei muito com ela, e da outra extremidade temos uma esposo tentando apoiá-la ao tempo que luta pata manter o sustento da família e ser aceito pelos pais da moça.

A culpa do desaparecimento da criança recaí sobre os pais e logo de imediato sabemos que um dos dois está mentindo, se não os dois. E o que seria do thriller sem segredos?! Ao longo da investigação que se inicia muitos deles vão sendo revelado a medida que as dúvidas e deduções do leitor só aumentam, adoro isso!


Ela disse à polícia que confiava em Marco, mas mentiu. Não confia nele com Cyntia. Acha que ele pode guardar outros segredos dela. Afinal, ela também guarda segredos dele.


Outra característica que faz os thriller serem únicos é a incerteza do que é real, o que realmente aconteceu. Será que as recordações são frutos da imaginação do personagem?! E essa dúvida paira sobre Anne, afinal ela se confundiu até com a cor da roupinha que a pequena usava na fatídica noite.

É impossível não se apaixonar, se compadecer e duvidar das convicções de Anne, o que acabou ofuscando um pouco o marido. Que logo volta aos holofotes quando se torna o principal desaparecimento da filha e a narrativa feita em terceira pessoa nos dá um panorama completo da situação. Apesar de ter amado a mãe inconsolável eu fiquei bem dividida em relação a Marco e o mesmo se deu aos pais de Anne, que horas parecem ser tão amáveis e quando se trata ao genro conseguem ser tão cruéis.

Os pais de Anne vão detestá-lo ainda mais. Eles vão perdoar Anne. São Capazes de perdoá-la por quase tudo, até mesmo por abandonar a filha a um predador, até isso. Mas nunca vão perdoá-lo.

A narrativa é eletrizante, sem enrolação ou excesso de informações, é tudo na medida certa para fornecer as pistas que o leitor precisa para ir montando o engenhoso e complexo quebra-cabeça que é essa história. Se tem uma coisa que não gosto em muitos thrilers que leio é a quantidade/tamanho do suspense feito, isso sempre me cansa.

Devo dizer que o casal da casa ao lado passa quase despercebido o livro todo, em compensação os detetives responsável pelo caso  merecem destaque. Rasbach e Jennings formam uma dupla perfeita e muito cativante, sem dizer que em muitos momentos temos pequenas alusões da difícil bagagem que a profissão os obriga carregar. A história dos dois daria um ótimo spin-off policial.


Porque, se tem algo que Rasbach aprendeu durante os anos na polícia é que as pessoas são capazes de qualquer coisa.


Agora meu destaque para grande reviravolta do enredo, o famoso plot twist.
No meio do livro já temos grandes revelações do que aconteceu e quem é o culpado, apesar de não sabermos que fim levou a menina.  Mas é quando a trama entra na reta final que um novo elemento vem inverter tudo que acreditávamos ser verdade e isso foi extremamente inteligente por parte da autora, me fazendo adorar o livro.

Então se você procura uma leitura rápida, cheia de suspense e envolvente do começo ao fim , O Casal Que Mora ao Lado é o grande indicado, tenho certeza de que não vai se arrepender.







Shari Lapena trabalhou como advogada e professora de inglês antes de se tornar escritora. O Casal Que Mora ao Lado, seu primeiro thriller, foi finalista do Goodreads Choice Awards na categoria Mistério & Thriller e figurou várias semanas na lista de mais vendidos do New York Times. Os direitos de publicação foram adquiridos por 24 países. 

Um comentário:

Seu comentário é sempre bem vindo!
Comente, opine, se expresse! Este espaço é seu.