Céu sem Estrelas - Iris Figueiredo


Livro: Céu sem Estrelas
Autor (a):Iris Figueiredo
Páginas: 360 Editora: Seguinte

 
Cecília acabou de completar dezoito anos, mas sua vida está longe de entrar nos trilhos. Depois de perder seu primeiro emprego e de ter uma briga terrível com a mãe, a garota decide ir passar uns tempos na casa da melhor amiga, Iasmin. Lá, se aproxima de Bernardo, o irmão mais velho de Iasmin, e logo os dois começam um relacionamento.
Apesar de estar encantado por Cecília, Bernardo esconde seus próprios traumas e ressentimentos, e terá de descobrir se finalmente está pronto para se comprometer. Cecília, por sua vez, precisará lidar com uma série de inseguranças em relação ao corpo — e com a instabilidade de sua própria mente.


Céu sem Estrelas é o livro da vez, com o diferencial de que ele entrou para o TOP do ano. E é exatamente por ter sido uma leitura tão boa que neste momento fico perdida pensando em como transmitir para uma simples resenha tudo que senti ao longo dessa leitura, sem dizer na quantidade de quotes que destaquei, são muitos e adoraria colocar todos aqui. Sem mais delongas, vamos a difícil tarefa de falar sobre o livro da Iris Figueiredo.

A sinopse desse livro nós da a entender que a trama se trata de mais um Young Adult, onde os personagens precisam enfrentar o dilema de sua busca por identidade e finalmente ingressar nas responsabilidade da vida adulta, mas ele vai muito além disso. A sinopse deveria conter um aviso de que o leitor estará sujeito a fortes emoções com essa leitura.

Às vezes eu sentia que ia morrer.  A falta de ar, de controle e a pressão no peito eram desoladoras. Eu perdia a noção do tempo e do espaço, não sabia quando aquilo ia parar, se é que ia. Era como me afogar em águas rasa, sem perceber que podia simplesmente colocar os pés no chão.

A protagonista, Cecília, é uma garota ansiosa, apreensiva, com desejos suícidas e como ela mesma se define, gorda e desleixada. Que vive com a mãe, uma mulher amarga, que sempre a deixa de lado quando não está disposta a lidar com os "problemas" que a filha lhe causa. O pai é um personagem desconhecido, já que a mãe nunca revelou a identidade dele. Quem faz as vezes dele é o padrasto, Paulo, com quem Cecília não consegue se relacionar depois que descobriu que traia sua mãe. E é nesse ambiente familiar problemático que ela vive, até mais uma vez ser expulsa de casa por conta de uma briga infundada com a mãe.
O esperado era que Cecília buscasse abrigo na casa de sua vó, mas ela aceita abrigo de Iasmin, sua melhor amiga e irmã do seu amor platônico, Bernardo. E é nessa estadia que o rapaz vai descobrir que a menina que lê livros tristes e pensa em super-herói quando tudo na vida parece desmoronar vive, em silêncio, com uma enorme escuridão interior.

Meu pai não me quis, meu padrasto ignorou nossa família e agora minha mãe me coloca para fora de casa de novo. Quantas vezes mais seria deixada de lado por aqueles que deveriam me proteger?

A aproximação de Bernado desperta em Cecília todo seu sentimento de incapacidade e de não merecimento que a anos ela escondia, sempre criando justificativa para se cobrar tanto em relação aos que os outros esperava dela. Ela vivia pedindo desculpas por seus sentimentos, até que Bernardo pisa na bola com ela e Cecília começa a ter certeza de que ninguém é capaz de amá-la e que em algum momentos, todos vão embora.
Diferente da mãe de Cecília que não percebe, a instabilidade emocional da menina é notável desde o começo da narrativa, seja pelos seus próprios relatos ou através dos capítulos narrados por Bernando, que além de viver seus próprios temores em relação ao casamento problemático dos pais, passa a se sentir culpado pelo que está acontecendo com Cecília.

A dor era excruciante. Nenhum lugar doía, mas tudo doía. Era a pior sensação do mundo, e tudo que eu conseguia fazer era me balançar para frente e para trás, olhando para o vazio. Era tudo na minha cabeça. A dor era toda na minha cabeça, mas isso não a tornava menos real.

Esse trecho acima reflete bem a intensidade da história criada pela Iris Figueiredo, são diálogos e pensamentos dos personagens que descrevem com exatidão os sentimentos que uma pessoa com a saúde mental debilitada tem. Não vou entrar nos detalhes sobre os problemas psicológicos retratados aqui, mas eles vão de síndrome do panico á autoflagelação. Falo isso por experiência própria e olha que eu já passei dos meus dezoito anos a muito tempo, mas nunca em toda minha vida me identifiquei tanto com uma personagem como aconteceu com Cecília, mas isso vou deixar para o final da resenha.


V amos falar dos personagens, que vem repletos de diversidade e representatividade.
Eu simplesmente odiei a mãe da Cecília, que mulher insensível. Mas então aparece a tia dela, Eunice. Uma mulher mesquinha e preconceituosa, que no pouco que apareceu já deu nos nervos, mas que retrata bem aquele parente que quase todos nos temos e que no fim aturamos por causa da matriarca da família e a matriarca dessa família merece todo sacrifício.
Marília é a avó mais real que já vi em um livro, desde aqueles almoços de finais de semana para reunir a família, até as flores plantadas em latas de tinta no quintal. É incrível como a autora conseguiu me transportar para dentro do mundo dessa história através da ambientação simples que criou.

Alguns personagens ficaram sem desfecho, como o caso da Iasmim, que em um certo momento acaba entrando em um relacionamento tóxico, fadado ao erro, mas que não sabemos como fica. E ainda temos a prima da Cecília, Tata, que é gay, as amigas Stephanie, que é negra e Rachel, que é cadeirante. Apesar da trama simples, o livro possui bons ganchos para ter uma continuação, ou mesmo um spin-off sobre essas personagens, pois todas, a sua maneira, tornaram a história da Cecília ainda mais emocionante.

Uma vez ela me disse que precisa ser duas vezes melhor do que todas as concorrentes. Que tinha nascido em desvantagem dupla, por ser mulher e negra. Tinha uma consciência enorme de sua própria identidade, o que tornava algumas coisas muito dolorosas. 

O mais importante neste livro está em sua premissa, na mensagem que a autora nos passa por meio da história de Cecília. Se por um acaso você leu e não compreendeu, a autora fez uma nota no final, relatando ter escrito o livro pensando em todas as vezes que se sentiu triste e sozinha, esperando que em algum lugar houvesse outra pessoa capaz de entender o que se passava com ela. Iris soube finalizar a trama destacando a importância de procurar ajuda profissional e tratamento adequado para problemas emocionais e que mesmo assim ainda teremos dias de céu sem estrelas, o que não significa que elas deixaram de existir, apenas estão encobertas por nuvens passageiras.

Como eu disse na minha postagem de desabafo aqui, eu me apaixonei por esse livro e continuo incapaz de descrever a quantidade de sentimentos que essa leitura despertou em mim. Não sei contar quantos sorrisos bobos ela me tirou, na mesma medida que me enterneci com os dramas de cada personagem. Não é um livro apenas para ser lido, ele é para ser sentido. Uma história sensível, profunda, extremamente marcante, e para mim, muito emocionante, daquelas que acaba e nos deixa pensando na vida por horas, que queremos guardar em um potinho de tanto que nos identificamos com ela.

E para finalizar eu faço uso das palavras da autora: Se você está experimentando sentimentos similares ao da Cecília e lida com pensamentos suicidas e de autoflagelação, saiba que é possível encontrar ajuda.


CVV - Centro de Valorização da Vida

Disque 141
http://www.cvv.org.br


O CVV - Centro de Valorização da Vida realiza apoio emocional e prevenção do suicídio, atendendo voluntária e gratuitamente todas as pessoas que querem e precisam conversar, sob total sigilo por telefone, email, chat e Skype 24 horas todos os dias. Lembrando que o CVV não substitui o atendimento profissional especializado.

Siga a autora nas redes sociais:


Lembrando que a autora vai estar na Bienal:

Estande da Companhia das Letras
Dia: 05/08
Horas: 15:00

22 comentários:

  1. Estou vendo muitos comentários sobre esse livro no meio da blogs esfera e estou ficando muito curiosa, espero poder ler em breve ele e tirar minhas conclusões, eu amei conferir sua opinião sobre.

    Beijos

    ResponderExcluir
  2. Olá, tudo bem? Caramba, que livro mais incrível! Ele chegou hoje aqui pra mim, e confesso que achei que era um romance clichê (que eu gosto muito, aliás), porém lendo tua resenha pude ver que a obra é muito mais que isso. Gostei muito de saber da diversidade de personagens, e de como o livro trata de temas super importantes. Amei a resenha!!!

    Beijos,
    Duas Livreiras

    ResponderExcluir
  3. Oi Camila! Nossa, olhando pra capa eu não imaginava que seria um livro tão intenso!! A autora aborda temas super importantes e que precisam ser sempre trabalhados. Já tenho empatia pela protagonista e realmente deve ser uma leitura que desperta muitos sentimentos. Fiquei interessada na leitura!

    Bjs, Mi

    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
  4. Tudo bem?
    Adorei suas impressões e esse é um livro que de começo eu não estava interessada em ler. Tenho visto muitos bons comentários sobre ele e me despertou uma baita curiosidade. Vou ver se consigo encaixar na meta de leitura do próximo mês.

    Ah! Amei a foto.

    Beijos.

    www.alempaginas.com

    ResponderExcluir
  5. Ahh que resenha linda!
    Eu ouvi falar mto do livro da Iris Figueiredo, e so tenho visto elogios até agora.
    Inclusive acho que foi o mais vendido durante a Flipop, mto orgulho dela por essa conquista!
    Adorei saber mais da história e nao sabia que tinha algo sobre suicidio e que bom que tem esse contato para as pessoas procurem ajuda.
    Gostei mto da premissa e com certeza vou ler.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  6. Ahh que resenha linda!
    Eu ouvi falar mto do livro da Iris Figueiredo, e so tenho visto elogios até agora.
    Inclusive acho que foi o mais vendido durante a Flipop, mto orgulho dela por essa conquista!
    Adorei saber mais da história e nao sabia que tinha algo sobre suicidio e que bom que tem esse contato para as pessoas procurem ajuda.
    Gostei mto da premissa e com certeza vou ler.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  7. Eu acompanho a autora nas redes sociais, nas nunca li nada dela, acredita?
    Achei a resenha linda e delicadas. Deu pra sentir que vc realmente gostou da história e isso despertou o meu interesse e curiosidade pela obra. Fora essa capa que está linda demais *_*

    Sai da Minha Lente

    ResponderExcluir
  8. Não conhecia esse livro, mas seu enredo parece ter um toque bem especial de drama e sua história nos deixará emocionado. Gostei muito da resenha e estou muito curioso para ler essa obra.

    Gustavo
    http://www.leituraenigmatica.com

    ResponderExcluir
  9. Olá!

    Acabamos de receber esse livro de cortesia e mesmo com a sinopse não dá para saber o tanto que é maravilhoso. Sua resenha reforçou a ideia que precisamos conferir essa obra logo. Obrigada pela dica.

    Beijos

    ResponderExcluir
  10. Olá! Estava esperando ansiosa por essa resenha! Quando li o seu post de desabafo eu já tinha ficado com vontade de ler esse livro, agora, depois dessa resenha maravilhosa, a vontade só aumentou. Dica mais que anotada!

    Abraços

    ResponderExcluir
  11. Oi Camila!
    Ando vendo alguns posts sobre esse livro e para mim ele foi do tipo que chamou atenção desde o primeiro momento já pela capa. A cada resenha que leio, sinto mais urgência em realizar a leitura, e confesso que ao ler a tua, essa ansiedade aumentou ainda mais.
    Espero conseguir ler o quanto antes.
    Parabéns pela resenha!

    ResponderExcluir
  12. Que resenha, Camila! Eu estou muito curiosa com esse livro e estava querendo demais ler a tua resenha sobre ele. Eu me lembro da tua postagem falando um pouco sobre a leitura e fiquei bem curiosa para ver a resenha completa. Eu acho que deve ser uma excelente leitura e não vejo a hora de poder ler também.

    ResponderExcluir
  13. Oi, Camila!
    Estou doida para conseguir ler esse livro! Eu acho extremamente importante termos histórias como a de Cecilia para que nós percebamos que não estamos sozinhos (mesmo quando acreditamos que sim) - são os temas mais "difíceis" que devem mais ser discutidos. Fico muito feliz em saber que a Iris conseguiu escrever uma narrativa capaz de deixar o leitor tocado e ligado aos personagens de forma tão profunda.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  14. Fiquei impressionando com a quantidade de temas diversos abordados pela autora, mas uma pena ela ter deixado passar um fechamento para os personagens que vc mencionou. Achei muito engraçado a forma como vc falou da matriarca e de como ela reportou você à sua vó e me fez lembrar com muita muita saudade das minhas vós amadas. E gente, que demais a autora ressaltar a importância de se buscar ajuda profissional com se passa por problemas emocionais. Precisamos de mais Iris!

    Bjo
    Tânia Bueno

    ResponderExcluir
  15. Olá, tudo bom?
    Fiquei encantada com a diversidade que é encontrada nesse livro e confesso que o amor que você sentiu por esta história me deixou super instigada a lê-la. Achei a temática super interessante e muito necessária de ser abordada. Depressão é uma doença que precisa de tratamento e livros assim ajudam as pessoas a perceberem que não se trata de 'frescura'. Já anotei a dica aqui e espero poder ler em breve. Sua resenha ficou simplesmente maravilhosa! ♥
    Beijos!

    ResponderExcluir
  16. Olá, tudo bem? Estou doida para ler esse livro da Iris. Ouço falar dele desde que ela entrou na editora, e agora ver ele finalizado e lindão é demais. Fora os comentários positivos que estão em altas. Com certeza irei ler, e sua resenha só me deixou mais animada ainda <3
    Beijos,
    http://diariasleituras.blogspot.com

    ResponderExcluir
  17. Oi Camila, assuntos tensos e importantes abordados pelo livro. Eu conhecia o livro, mas não tinha prestado atenção ao enredo.
    Bjs Rose

    ResponderExcluir
  18. Meu Deus do céu! Tive que colocar o livro na minha lista do Skoob! Menina, que resenha maravilhosa! Perfeita! Você me deixou louca para ler o livro. Desejando urgentemente conhecê-lo! Vou pirar com tantas histórias incríveis que preciso ler! Não tenho tempo! E aí vem essa resenha me deixar maluca!kkkkkk...

    Eu li o seu post de desabafo e não tinha intenção de apostar na história agora. Todavia, estou vendo que terei que me desdobrar para encaixar a leitura neste ano de 2018! Os quotes que você separou, a maneira como o livro te envolveu e os temas abordados me encantaram. Sei que o livro vai ser um soco no estômago e provavelmente me deixará em prantos, mas preciso ler.

    ResponderExcluir
  19. Oi Camila, sua linda, tudo bem?
    Acho que todos nós com problemas emocionais ou não, só queremos ser compreendidos. Pois todos somos diferentes, todos temos problemas, mas a convivência é tão complicada, na maioria das vezes essa diferença não é aceita e acaba criando conflitos. Legal a autora ter colocado personagens bem diversificados, ela poderá abordar com cada um deles, essas diferenças a que me referi. E foi muito importante a autora frisar que as pessoas precisam buscar ajuda. Sua resenha ficou ótima!!!
    beijinhos.
    cila.
    http://cantinhoparaleitura.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  20. Olá!
    Esse livro está na minha lista de leituras. Adoro tramas que tem dramas importantes a serem retratados.
    Fiquei com uma pena de não ter conseguido ir no evento dessa autora que teve próximo a minha cidade.
    Mas pelas resenhas que tenho lido, certamente vou me apaixonar pela trama.
    Beijos!

    Camila de Moraes

    ResponderExcluir
  21. Que resenha mais linda! Gostei muito de saber sua opinião sobre o livro. Eu peguei Céu Sem Estrelas esperando uma leitura leve e acabei encontrando uma trama mais intensa e bonita do que pensava. Gostei muitíssimo do livro e espero ter a oportunidade de ler mais obras da autora em breve.

    Parabéns pelo post! *-*

    Beijos

    ResponderExcluir
  22. Acho a Iris uma fofa, mas ainda não li nada dela e vou começar por este livro aqui. Os quotes que você compartilhou na resenha dão a dimensão do que encontraremos na trama e já quero me emocionar com tudo isso.
    beijos

    ResponderExcluir

Seu comentário é sempre bem vindo!
Comente, opine, se expresse! Este espaço é seu.