O Exorcista - William Peter Blatty

Livro: O Exorcista
Autor (a): William Peter Blatty
Páginas: 330
Editora: Harper Collins




O mal toma várias formas e a literatura e o cinema parecem se desafiar a criar inúmeras personificações desse mal. Seja com monstros, formas deformadas de nós mesmos, ou demônios, a indústria do entretenimento sempre foi bem-sucedida em representar a essência do nosso lado mais reprovável. O exorcista, no entanto, conseguiu ultrapassar esse limite. Inspirado em uma matéria sobre o exorcismo de um garoto de 14 anos, o escritor William Peter Blatty publicou em 1971 a perturbadora história de Chris MacNeil, uma atriz e mãe que está filmando em Georgetown e sofre com as inesperadas mudanças de comportamento de sua filha de 11 anos, Regan. Quando a ciência não consegue descobrir o que há de errado com a menina e uma nova personalidade demoníaca parece vir à tona, Chris busca a ajuda da Igreja no que parece ser um raro caso de possessão demoníaca. Cabe a Damien Karras, um padre da universidade de Georgetown, salvar a alma de Regan, enquanto tenta restabelecer sua fé, abalada desde a morte de sua mãe. Em O exorcista, Blatty conseguiu dar ao demônio a sua face mais revoltante: a corrupção da alma de uma criança. A jovem Regan é, ao mesmo tempo, o mal e sua vítima. Ela recebe a pena e a revolta dos leitores e espectadores em doses equivalentes e, mesmo quarenta anos depois, seu sofrimento e o abismo entre o que ela era e o que se torna continuam nos atormentando a cada página, a cada cena. Até, enfim, descobrirmos que não se trata apenas de uma simples história sobre o bem contra o mal, ou sobre Deus contra o demônio, mas sobre a renovação da fé.


Uma história conhecidas por muitos, através do filme mais aterrorizante de todos os tempos, que estreou em 1973, abordando a possessão demoníaca de uma garota de 12 anos, O livro em questão, que inspirou o filme, foi baseado no exorcismo de um garoto de 14 anos, documentado em 1949.

Apesar de já ter visto o filme milhares de vezes eu queria ler o livro e foi o que fiz. Então vamos conferir um pouquinho desta obra prima do terror/horror.



Chris MacNeil é uma bem sucedida atriz de cinema, que cria sozinha sua doce filha, Regan Tereza, de 12 anos. Com uma boa vida, as duas dividem a casa com um casal de empregados e a sempre presente, Sharon, secretária pessoal da atriz e professora de Regan.
No porão da casa fica o quarto de brinquedo de Regan, onde a menina passa as tardes brincando com seu amigo imaginário, o Capitão Howdy, com quem a menina se comunica pela tábua de Ouija. Já viu que isso não vai dar em boa coisa né?!

Se eu estou certa, talvez a ponte entre os dois mundos seja o que você mesma acabou de mencionar, o subconsciente. Só sei que coisas parecem acontecer. E, minha querida, há hospícios no mundo todo repletos de pessoas que mexeram com o oculto.

Do dia para noite Chris e a filha começam a ouvir barulhos no sótão e tudo indica que os ratos estão fazendo a festa, mesmo com Ralf, o empregado, afirmando que não existem ratos na casa. Do mesmo modo começou as queixas de Regan, quanto aos movimentos involuntários de sua cama e a suposta pertubação a menina por parte do Capitão Howdy.

O que parecia uma manhã era o começo de uma noite sem fim.

Em poucos dias Regan está tão atormentada que muda completamente de personalidade. Se torna uma pessoa ríspida, nervosa e com um linguajar totalmente diferente do que costumava ter, ao passo que os moveis do quarto da menina estão sempre fora do lugar, inclusive os mais pesados. Tudo acontece muito rapidamente, quase imperceptível, para quem não sabe do que se trata o enredo.

Assim como o brilho breve dos raios de sol não é notado pelos olhos de homens cegos, o começo do horror passou despercebido; com o guincho do que ocorreu em seguida, o início foi, na verdade, esquecido e talvez não relacionado de forma alguma ao horror. Era difícil saber.

Preocupada com a filha, Chris leva a menina a diversos especialistas em busca de alguma doença ou mesmo distúrbio mental. Ao contrário do que os exames dizem a protagonista só piora, a ponto de ter que ser amarrada a cama para que não se machuque ou machuque os outros em seus ataques de fúria e infindáveis convulsões.


Totalmente desorientada, sem saber mais o que fazer, se recusando a internar a filha em um hospital psiquiátrico e depois de presenciar cenas inexplicavelmente sobrenaturais no quarto da filha, a inconsolável mãe procura auxilio com o incrédulo padre e psiquiatra, Damien Karras.

E Regan retorna, com os olhos arregalados e o medo estampado no rosto, como se um fim terrível se aproximasse, gritando com a boca bem aberta até a personalidade demoníaca possuí-la, preenchê-la mais uma vez, tomando o quarto com um odor fétido, com um frio gélido que parecia vir das paredes...

Karras é um padre que fez voto de pobreza e que se dedicou a vida eclesiástica, mas que carrega uma grande culpa em relação a sua mãe, que falecerá a pouco. A culpa e a morte da mãe são os espinhos da carne do pobre homem, que dia após dia coloca mais sua própria fé em questão.

Não temos necessidade de que Satã organize nossas guerras. Destas, nós mesmos nos encarregamos... nós mesmos... 

A contra gosto ele aceita visitar a casa das MacNeil, apenas como psiquiatra, mas na entrada da casa ele já sente que algo muito maior está acontecendo. A partir desse momento Karras tentará unir provas de que a irreconhecível Regan, amarrada a cama, está possuída por um ser maligno, que se intitula o próprio diabo.




Acredito que todos tenham visto esse filme, ou mesmo ouvido falar dele. Foi o primeiro dentro do gênero a ser indicado ao Oscar. Mas se não sabe do que se trata eu apenas aconselho que não se aventure sem ter um bom estômago e a mente bem aberta a questões horripilantes, caso contrario te garanto que vai ficar um bom tempo sem buscar água na cozinha de noite.

O livro  todo narra a luta entre o bem e o mal, mal este que tem como objetivo ceifar a vida da pobre menina e causar a discórdia entre as pessoas de seu circulo de convívio.
O espirito que se encontra na menina faz todo tipo de escárnio com os que estão a sua volta, sem mencionar o terror psicológico que submete a todos, principalmente os padres envolvidos no exorcismo.

O autor descreve tudo de forma muito direta, objetiva e viciante. Desde a famosa cena em que a cabeça da menina gira 180°, até mesmo as partes em que em meio ao ritual ela fica defecando e falando do mau cheiro. É nojento, como ela cospe na cara das pessoas, vomita seus infindáveis jatos verde e usa um crucifixo em atos lascivos. Isso tudo é perturbador durante a leitura. Em diversos momentos me via no lugar daqueles personagens e ficava me perguntando como aguentavam.

Confesso a vocês que mesmo tendo assistido o filme tantas e tantas vezes eu ainda me impactei com a explícitude da narrativa. É muito mais horripilante, mais assustadora. Sem dizer que temos pormenores acontecendo fora da trama central. Como o caso de um assassinato que está sendo investigado e violações religiosas que vem acontecendo na igreja próxima, tudo indicando que existe adeptos da Missa Negra por perto. São tantos detalhes que passam despercebidos no filme e que o livro traz a tona com muito mais clareza e amplitude.

Apesar de toda essa luta espiritual o livro aborda de forma grandiosa e realista as questões entre fé e ciência, descrevendo claramente como diversas doenças mentais são tratadas como problemas espirituais e como o contrário também acontece.

Tenho pra mim que o psicológico do leitor conta muito com esse livro. Ainda mais quando se tem conhecimento de toda lenda a cerca dos atores que participaram do filme e fatos macabros que permeavam as gravações. Nesses casos eu te garanto que mais cedo ou mais tarde você vai sentir um frio na espinha e vai olhar para os lados.

26 comentários:

  1. O livro é bem pior em sentido horror que o filme.
    Eu sou super medrosa, mas ainda assim um dos gêneros que mais gosto é o terror, vai entender?
    Meu marido me sacaneia que todos os anos de Rock im Rio sou a primeira na fila dos brinquedos que tem altera e aterrorizantes, eu brinco, sinto medo? Claro! Mas vai me estender.e dá certa agonia sentir medo de algo, então quando possível, desafio esse medo eu mesma.

    Voltando ao livro.. Acho intrigante toda a questão ciência e religião. Sabemos que antigamente muitos casos foram tratados como possessão do demônio, quando na verdade tinham outros cunhos.
    Sou católica, mas ainda assim sei que o catolucismo teve um papel ativo em exorcismos de maneira até absurdas.


    Sempre que tem livros ou filmes com essa temática eu leio.
    Alguns não passam de besteiras, outros são assustadores w me deixam refletindo um "século" sobre aquilo.

    Beijos

    www.alwmpaginas.com

    ResponderExcluir
  2. Incrível sua resenha! Nunca vi o filme e acho que hoje em dia nem teria coragem! Não gosto de assistir coisas de terror, mas a leitura do gênero me chama a atenção. Amei seu post e, quem sabe, um dia eu o leia também hahah
    by: atravesdaescrita.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. Mana do céu, não tenho coragem de ler esse livro!! Nossa, a senhora é muito corajosa por ter assistido ao filme várias vezes e ter lido até o fim essa história tenebrosa. Adorei sua resenha, deu para ter um bom panorama do enredo e só me fez ter mais certeza de que não conseguiria fazer essa leitura.
    Bjs

    ResponderExcluir
  4. Olá!

    Começo o meu comentário dizendo que eu NUNCA tive coragem de assistir a esse filme. Sou extremamente medrosa e, apesar de estar em uma fase de enfrentar o medo e assistir filmes de terror, esse ainda é um que fujo. Filmes que colocam a parte espiritual no meio, que mexem com fé, me deixam MUITO cismada. Tenho coragem não.Logo, não é um livro que eu tenha vontade de ler.
    Por outro lado, sua resenha ficou impecável. Se eu não fosse tão medrosa, com certeza iria ler depois de conhecer pela sua resenha!

    Abraços.

    ResponderExcluir
  5. Oi, Camila. Eu assisti ao filme há muitos anos e na época eu não senti o medo que eu sentiria hoje. Era bem nova e levava na brincadeira. Hoje eu não tenho mais coragem para ver o filme. O livro eu tenho curiosidade, mas não sei dizer ao certo se eu teria coragem para ler. Eu gostei muito de ver a sua opinião sobre a leitura.

    ResponderExcluir
  6. Lembro que quando assisti ao filme pela primeira vez (escondida da minha mãe) passei semanas sem dormir hahaha.
    Espero conseguir comprar esse livro, porque acho essa edição (essa capa) incrível. Dá medo só de olhar.

    Sai da Minha Lente

    ResponderExcluir
  7. Oi camila, faz um bom tempo que li O Exorcista e lembro de na época ter ficado bem impressionada com as descrições de algumas cenas. Não sei se por primeiro ter visto o filme, mas o fato é que conseguia imaginar tudo, para meu horror.
    Bjs, Rose

    ResponderExcluir
  8. Olá!
    Menina só de ver essa capa me dá nervoso. Eu curto esse tipo de leitura, mas ultimamente ando um pouco saturada de alguns contextos. Já assisti o filme, mas acho que pra chegar a ler esse livro não sei se faria nesse momento.
    Beijos!

    Camila de Moraes

    ResponderExcluir
  9. Olá Camila! Terror é o meu gênero favorito em praticamente tudo, quando bem feito! Assisti ao filme muitas e muitas vezes, e sei bem que o terror psicológico costuma ser mais pesado que o terror sobrenatural em si. Gostaria de ler o livro exatamente pelas impressões que você disse, que no livro estão mais detalhadas, mais explicadas e mais abordadas do que no filme. E sem mencionar essa edição da Darkside, que sempre arrasa! Obrigada pela resenha!
    Bjoxx

    ResponderExcluir
  10. Olá!
    Eu li esse livro quando estava com 14 anos (há mais de trinta anos) fiquei traumatizada rs e olha que amo terror, mas qdo o assunto envolve demônios, esses que a igreja acredita, confesso que não leio mais. Continuo gostando de terror, mas um terror que pende para o lado mais fantasioso. Fiquei medrosa depois de velha rs
    Agora eu compraria esta edição da DSB pq estou colecionando, as capas são de arrasar.
    Parabéns pela resenha! Bjs

    ResponderExcluir
  11. Olá, tudo bem?
    Eu adorei a sua resenha, ficou muito boa, você acredita que eu tenho aqui "O Exorcista" e ainda não li? Já assisti ao filme algumas vezes, mas o livro está pegando poeira na estante, quero ver se consigo ler esse ano. Gostei das suas impressões!
    Abraço!

    ResponderExcluir
  12. Essa semana mesmo eu estava conversando sobre não ter coragem de ler esse livro kkkk Sou bem medrosinha (principalmente para filme) e por mais que eu me interesse por histórias de terror, o Exorcista ainda me deixa um pouquinho temerosa :x
    Gente, como alguém deixa uma criança brincar com um tabuleiro ouija kkkkk é pra dar ruim msm.
    Não sabia que tratava dessa questão ciência x religião, o que me deixa mais interessada em ler. Mas vou esperar mais alguns anos até eu me sentir preparada kkkkkk
    Gostei bastante da resenha :)

    ResponderExcluir
  13. Assisti ao filme há muuuito tempo e não me empolguei muito com ele.
    Porém quando vi este livro em promoção vi que era a oportunidade perfeita para reviver a história e talvez dar uma nova chance ao filme.
    Infelizmente ainda não consegui lê-lo, mas está na lista de metas deste ano!

    ResponderExcluir
  14. Olá Camila,

    Eu sou fã de filmes e livros de terror, porém como assisti a esse filme como era bem mais nova, sempre tive a impressão que era suuuuuuuper apavorante e que não conseguiria ler essa obra. Porém, eu amei a sua resenha e consegui entender que apesar de ser mais aterrorizante que o filme a história é muito mais completa. Mas acho que ainda vou ter que tomar muita coragem antes de começar a lê-lo novamente...

    Parabéns pela resenha sensacional
    Beijos Ana Claudia
    gancoraliteraria.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  15. Tai uma obra que sou curiosa pra ler mas não pra ver kkkk, não sou fã de filmes de terror mas adoro livros do gênero e quero demais ler esse mas falta coragem tbm kkk.

    ResponderExcluir
  16. Esse livro é assustador demais! Concordo contigo, o psicológico é que conta muito nessa leitura e não há como ficar com o psicológico de boas lendo essa narrativa. É um dos meus livros preferidos, mas que dá medo, dá.

    ;*

    ResponderExcluir
  17. Olá, eu já havia ouvido falar no filme, mas ainda não assisti. Pelo seu post, fiquei bem curiosa para ler o livro, é muito difícil eu ficar com medo de livros, vamos ver se fico com esse, rsrs. Só queria uma capa mais bonita.

    petalasdeliberdade.blogspot.com

    ResponderExcluir
  18. Olá,
    Eu já assisti ao filme, mas ainda não li a obra.
    Não sabia que ele havia sido o primeiro a ser indicado do gênero ao Oscar e achei essa informação bem interessante.
    Confesso que não sou muito fã desse tipo de leitura, mas morro de curiosidade para saber como as cenas são descritas no livro. Dessa forma, acho que num futuro eu o leia para matar tal curiosidade.

    LEITURA DESCONTROLADA

    ResponderExcluir
  19. Oi Camis,
    Eu tinha um tremendo pavor desse filme quando era criança, a sena do giro 360 da cabeça é memorável, ainda mais para aquela época em que efeitos especiais eram praticamente inexistentes! Confesso que depois que comecei a ler terror, esse livro entrou na minha lista imediatamente, e só me falta a coragem para ler hahahah afinal, se o livro for melhor que o filme, prevejo noites de insônia.

    Adorei a resenha

    Bjs

    ResponderExcluir
  20. Oiii tudo bem???

    Realmente acredito que todos conheçam essa historia, e nunca imaginei que ficasse com tanta vontade de ler. Apesar de ter na estante achei que a narrativa seria lenta e cansativa.
    Ainda bem que não é assim.
    Adorei a resenha.
    Bjus Rafa

    ResponderExcluir
  21. Oi Camila, tudo bem?

    Sua resenha está muito bem escrita e não duvido que esse livro seja bom para aqueles que amam o gênero. O que não é meu caso! kkkkkkkkk

    EU TENHO PAVOR de livros de terror, filmes e coisas do tipo... jamais chegaria perto de um livro desses, Deus me livre! kkkkkkk

    Mas fico feliz que o livro tenha te envolvido e você gostado... é sempre assim, até nos filmes de terror... o livro é sempre melhor... não tem jeito!

    Beijos!!!

    ResponderExcluir
  22. OOOiiiii, eu nunca leria esse livro hahahahaha Mas fico mega feliz por vc ter curtido a leitura... Não assisto filmes de terror, de fato, não é a minha praia!

    ResponderExcluir
  23. Oi Camila!
    Não sei se teria coragem de ler esse livro, sou muito medrosa! O filme eu vi uma vez só e já foi o suficiente pra me apavorar! kkkkkk
    Bjs!

    ResponderExcluir
  24. Gata, eu não passaria nem perto desta capa de tanto medo. Meu maior trauma com filmes de terror são porque assisti O Exorcista e quase morri do coração, então, não quero sofrer, então já sei que esta leitura jamais seria pra mim,
    OUTRA VEZ – Ivi Campos
    Beijos

    ResponderExcluir
  25. Olá Camila,
    Adoro filmes e livros desse gênero, mas ainda não li esse livro. O filme é um dos poucos que me assusta mesmo. Ele dá aquele medo na espinha, sabe? Gostei muito de saber que isso está presente nesse livro e que ele, ainda assim, é fluído e viciante. Eu me pergunto se teria psicológico para ler esse livro, porque eu realmente tenho medo do que ele apresenta rs.
    Adorei a resenha e vou anotar a dica, mas não pra hoje :o
    Beijos

    ResponderExcluir
  26. Oi Camila, tudo bem?
    Está aí um livro que não leio. Não gosto de terror. Meu filho leu e amou, tudo bem que ele só lia de dia e depois que terminou ficou um bom tempo dormindo de luz acesa rsrsr! Mas ele só tem 13 anos! Amei sua resenha, mas passo a dica!
    http://colecionandoromances.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Seu comentário é sempre bem vindo!
Comente, opine, se expresse! Este espaço é seu.